Blog

    A amortização é um modelo fundamental no contexto de financiamentos e empréstimos, representando a maneira pela qual um saldo devedor pode ser gradualmente reduzido ao longo do tempo. No âmbito do financiamento imobiliário, a utilização do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como recurso para amortização representa uma oportunidade valiosa para os mutuários. O FGTS, um benefício disponível para todas as pessoas com carteira assinada no Brasil, pode ser empregado, por exemplo, para quitar ou reduzir o saldo devedor de um financiamento imobiliário, diminuindo o valor final a ser pago e contribuindo para a quitação mais rápida do empréstimo.

    Ao aplicar o FGTS para amortização, os mutuários conseguem diminuir o saldo devedor, resultando em um impacto positivo nas prestações subsequentes e, consequentemente, na redução do tempo de pagamento do empréstimo. Essa estratégia pode representar uma economia significativa de recursos financeiros a longo prazo e possibilitar uma maior estabilidade financeira aos tomadores de empréstimos imobiliários. Confira a seguir aqui no Blog Mercantil tudo o que você precisa saber sobre amortização.

    Como funciona a amortização?

    A amortização é um processo de pagamento gradual de uma dívida por meio de prestações periódicas que incluem tanto o pagamento do principal quanto dos juros. 

    Funciona de maneira a reduzir o saldo devedor ao longo do tempo. No contexto de empréstimos, como financiamentos imobiliários, cada prestação paga inclui uma parcela do valor principal do empréstimo e uma porção dos juros incidentes sobre o saldo devedor. À medida que as prestações são pagas, o valor do saldo devedor diminui, o que por sua vez reduz o montante dos juros a serem pagos nas prestações subsequentes. Ao longo do tempo, a proporção do pagamento destinada aos juros diminui e a parcela referente à amortização do principal aumenta, acelerando assim a quitação da dívida.

    Veja também: Qual a melhor forma de financiar um imóvel?

    Qual é o melhor sistema de amortização?

    Não existe um sistema de amortização que seja universalmente considerado o “melhor”, pois cada um tem suas vantagens e desvantagens, dependendo das necessidades e preferências individuais. Alguns dos sistemas mais comuns são o Sistema de Amortização Constante (SAC), o Sistema Price (ou Sistema de Prestações Constantes) e o Sistema de Amortização Francês (SAF).

    • Sistema de Amortização Constante (SAC): Neste sistema, as prestações são decrescentes ao longo do tempo, pois os juros são calculados sobre o saldo devedor. Isso significa que, à medida que o saldo devedor diminui, os juros também diminuem, o que resulta em prestações menores ao longo do tempo.
    • Sistema Price ou Sistema de Prestações Constantes: No Sistema Price, as prestações permanecem constantes ao longo do período do empréstimo, o que facilita o planejamento financeiro, já que as parcelas não variam. No entanto, a maior parte dos juros é paga nas primeiras prestações, e a amortização do principal ocorre mais lentamente no início do empréstimo.
    • Sistema de Amortização Francês (SAF): Similar ao Sistema Price, o SAF possui prestações constantes ao longo do tempo. A diferença está na forma como os juros são calculados, priorizando uma distribuição mais equilibrada entre juros e amortização do principal desde o início do empréstimo.

    O “melhor” sistema de amortização depende das necessidades individuais do mutuário, como capacidade de pagamento, preferência por prestações fixas ou decrescentes, entre outros fatores. É importante analisar cada sistema, entender como cada um afeta o pagamento total ao longo do tempo e escolher aquele que melhor se adequa à situação financeira pessoal. Em geral, consultar um especialista em finanças ou um profissional do ramo imobiliário pode ajudar na escolha do sistema mais adequado para um determinado caso.

    Como calcular a amortização?

    Calcular a amortização em um empréstimo ou financiamento é relativamente simples, especialmente quando se utiliza o Sistema de Amortização Constante (SAC), um dos métodos mais diretos de amortização.

    A fórmula para calcular a amortização no Sistema de Amortização Constante (SAC) é:

    Amortização = Valor do empréstimo / Número de parcelas

    No SAC, a amortização é constante ao longo do período do empréstimo, então basta dividir o valor total do empréstimo pelo número de parcelas para obter o valor da amortização a cada parcela.

    Por exemplo, se você tem um empréstimo de R$ 100.000,00 para pagar em 10 parcelas, a amortização por parcela seria:

    Amortização = R$ 100.000,00 / 10 = R$10.000,00

    Com o conhecimento da amortização, é possível calcular os juros e o saldo devedor em cada parcela, já que a parcela é composta pela amortização e pelos juros incidentes sobre o saldo devedor restante.

    Como amortizar dívidas em parcelas?

    Amortizar dívidas em parcelas é uma estratégia eficaz para reduzir o saldo devedor ao longo do tempo, seja em empréstimos pessoais, financiamentos ou cartões de crédito. Aqui estão alguns passos para amortizar dívidas em parcelas:

    Passo 1: Avaliação Financeira

    Avalie suas Finanças: Analise seu orçamento para determinar quanto pode alocar mensalmente para amortizar a dívida sem comprometer suas despesas essenciais.

    Passo 2: Escolha da Estratégia

    Priorize as Dívidas: Identifique as dívidas com as taxas de juros mais altas, como cartões de crédito, e considere amortizá-las primeiro para reduzir custos futuros com juros.

    Passo 3: Negociação (se aplicável)

    Negocie Taxas de Juros: Em alguns casos, é possível negociar taxas de juros mais baixas com o credor, o que pode facilitar a amortização da dívida.

    Passo 4: Defina o Plano de Pagamento

    Crie um Plano de Pagamento: Divida o valor total da dívida pelo número de parcelas desejadas, levando em conta o montante que você pode pagar mensalmente. Isso define o valor de cada parcela.

    Passo 5: Pagamento Regular 

    Faça Pagamentos Pontuais: Certifique-se de fazer os pagamentos mensais conforme o plano estabelecido. O pagamento pontual é crucial para evitar taxas adicionais e manter o plano de amortização.

    Passo 6: Acompanhamento

    Acompanhe seu Progresso: Verifique regularmente o saldo devedor e ajuste seu plano, se necessário. Se tiver a capacidade de pagar mais em certos meses, considere a possibilidade de adicionar valores extras para acelerar a amortização.

    Dicas Adicionais:

    • Evite acumular mais dívidas: Durante o processo de amortização, evite contrair novas dívidas que possam comprometer seu plano de pagamento.
    • Considere consolidação de dívidas: Em algumas situações, consolidar várias dívidas em uma única pode simplificar os pagamentos e, possivelmente, reduzir a taxa de juros total.

    Lembrando sempre que a disciplina financeira é fundamental ao amortizar dívidas em parcelas. Um planejamento cuidadoso e a consistência nos pagamentos ajudarão a alcançar o objetivo de reduzir e eventualmente eliminar as dívidas.

    Veja também: 18 dicas de como quitar dívidas com saque FGTS

    Quais são os tipos de amortização existentes?

    Existem vários tipos de sistemas de amortização, cada um com suas próprias características e maneiras de calcular o pagamento das parcelas em um empréstimo ou financiamento. Aqui estão alguns dos tipos mais comuns de amortização:

    1. Sistema de Amortização Constante (SAC):

    Características: As parcelas de amortização são constantes ao longo do período do empréstimo, enquanto os juros diminuem gradualmente à medida que o saldo devedor é reduzido.

    Como Funciona: A amortização é calculada dividindo o valor do empréstimo pelo número de parcelas.

    1. Sistema Price (ou Sistema de Prestações Constantes):

    Características: As parcelas permanecem constantes durante todo o período do empréstimo.

    Como Funciona: A parcela é composta por juros decrescentes e amortização crescente ao longo do tempo.

    1. Sistema de Amortização Francês (SAF):

    Características: Similar ao Sistema Price, com parcelas constantes.

    Como Funciona: Os juros são calculados de maneira que a parcela seja uma combinação fixa de juros e amortização.

    1. Tabela Price com Juros Sobre o Saldo Devedor (TP-S):

    Características: Combina a Tabela Price com a ideia de juros cobrados sobre o saldo devedor.

    Como Funciona: Os juros são recalculados mensalmente com base no saldo devedor.

    1. Sistema de Amortização Crescente (SACRE):

    Características: As parcelas de amortização aumentam ao longo do tempo.

    Como Funciona: A amortização é crescente, o que reduz o saldo devedor mais rapidamente em comparação com outros sistemas.

    Cada tipo de sistema de amortização tem suas vantagens e desvantagens, e a escolha depende das necessidades individuais, capacidade de pagamento e preferências do mutuário. É importante entender como cada sistema afeta o pagamento total ao longo do tempo e escolher aquele que melhor se adequa à situação financeira pessoal.

    Posso usar FGTS para amortizar financiamento?

    Sim, é possível utilizar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para amortizar ou quitar parte de um financiamento. A utilização do FGTS para esse fim é uma opção disponível para todas as pessoas que se enquadram em certos critérios estabelecidos pela legislação brasileira.

    Alguns pontos importantes sobre o uso do FGTS para amortização de financiamento:

    Condições para Utilização do FGTS:

    • Financiamento Habitacional: O FGTS pode ser utilizado para amortizar ou quitar financiamentos imobiliários, desde que o imóvel seja residencial e destinado à moradia do titular do FGTS.
    • Prazo Mínimo de Permanência no Financiamento: É necessário que o trabalhador tenha um período mínimo de 36 meses de trabalho sob o regime do FGTS ou em períodos intercalados, mesmo que em empregadores diferentes.
    • Saldo na Conta do FGTS: Deve haver saldo suficiente na conta do FGTS para efetuar a amortização desejada.

    Como Solicitar:

    O processo de utilização do FGTS para amortização do financiamento geralmente envolve solicitar à instituição financeira onde o financiamento foi contratado a autorização para utilizar os recursos do FGTS.

    É necessário apresentar a documentação necessária, conforme requisitos da instituição e da legislação vigente, para que a utilização do FGTS seja efetivada.

    Impacto na Dívida:

    A utilização do FGTS para amortização reduzirá o saldo devedor do financiamento, o que pode diminuir o valor das parcelas subsequentes ou até mesmo encurtar o prazo do financiamento.

    É fundamental estar ciente das condições específicas estabelecidas pela Caixa Econômica Federal ou pela instituição financeira responsável pelo financiamento, bem como das normas do FGTS, para garantir que se qualifica e atende aos requisitos necessários para utilizar o FGTS na amortização do financiamento.

    Antecipar FGTS para amortizar financiamento é possível?

    Sim. Essa opção está disponível no Banco Mercantil e permite a antecipação do FGTS para amortização de qualquer tipo de financiamento, inclusive o imobiliário, já  que na modalidade de antecipação do FGTS através do Saque Aniversário você pode adiantar o valor e usar como preferir.

    Como antecipar o FGTS com o Banco Mercantil?

    Caso você esteja pensando ou se perguntando em como antecipar o Saque-aniversário do  FGTS com o Banco Mercantil, aqui vai um passo a passo simples para você: 

    1. Verifique se você atende aos requisitos (Ser maior de 18 anos, possuir saldo em conta e optar pelo Saque-aniversário pelos canais da Caixa); 
    2. Pelo App FGTS, autorize o acesso do Mercantil às suas informações;
    3. E, por último, faça sua contratação diretamente pelo WhatsApp, sem precisar ir à uma agência. 

    Sim, é isso! É tão simples que você nem vai precisar sair de casa. Aqui no Banco Mercantil, além da praticidade e rapidez, você pode antecipar até 10 anos do seu saldo do FGTS com uma taxa de juros bem menor que outras linhas de crédito e o valor será debitado diretamente do seu fundo de garantia, de forma segura.  Precisa de dinheiro para amortizar seus financiamentos e está cansado de esperar pelo seu FGTS? Faça a antecipação do Saque-aniversário com o Banco Mercantil e receba o dinheiro no mesmo dia!

    Deseja receber conteúdos exclusivos do Banco Mercantil? Siga-nos nas redes sociais! No Facebook,YouTube, Instagram e LinkedIn você terá acesso a dicas e mais informações relevantes sobre serviços financeiros. Faça parte e aproveite nossos benefícios!

    Redação Mercantil

    247 artigos publicados

    Com mais de 250 agências, 7 milhões de clientes e 80 anos de mercado, o Banco Mercantil é o primeiro do Brasil a se inspirar na experiência do público 50+ para desenvolver soluções especialmente voltadas para a juventude prateada. A Redação do banco está sempre em busca de simplificar esse universo, com dicas de investimento, economia, planejamento financeiro e estilo de vida personalizadas para você.

    Compartilhar

    Navegue pelo sumário

      Recentes

      Aposentadoria

      Navegue pelo sumário

        Também pode te interessar

        FGTS

        FGTS

        FGTS

        FGTS

        FGTS

        FGTS

        Banco Mercantil do Brasil S.A. 17.184.037/0001-10
        Rua Rio de Janeiro, 680 - Centro, Belo Horizonte/MG - CEP 30160-912