Blog

    Gerenciar as finanças em conjunto com um parceiro ou com familiares pode ser um marco importante. A conta conjunta surge como uma opção estratégica para simplificar o cotidiano financeiro de muitas pessoas. 

    Ela permite que duas ou mais pessoas compartilhem uma conta bancária, facilitando todo o gerenciamento de despesas e investimentos. 

    No artigo de hoje, vamos entender o que é a conta conjunta, como abrir, quais as vantagens e desvantagens. Boa leitura!

    O que é uma conta conjunta?

    A conta conjunta é uma modalidade de conta bancária compartilhada por duas ou mais pessoas. Todos os titulares podem depositar, retirar dinheiro e gerenciar os investimentos conjuntamente. 

    Existem dois tipos principais de conta conjunta: a conta conjunta solidária e a não solidária ou simples. A seguir, entenda as diferenças entre cada uma delas.

    Conta conjunta solidária

    Neste tipo de conta conjunta, cada titular tem autonomia para realizar movimentações financeiras sem a necessidade de aprovação dos demais. Isso inclui saques, transferências, e até contratação de empréstimos. 

    Esse modelo é frequentemente adotado por casais e famílias, pois facilita o gerenciamento diário das finanças compartilhadas.

    Conta conjunta não solidária ou simples

    A conta conjunta não solidária exige que as transações sejam autorizadas por todos os titulares, geralmente por meio de assinatura física ou digital. Esse tipo de conta é comum entre sócios de empresas, ao proporcionar um maior controle e segurança.

    Vale a pena?

    Apesar das facilidades, abrir uma conta conjunta pode ser um desafio. Compare abaixo as principais vantagens e desvantagens antes de solicitar a sua. 

    Principais vantagens

    A conta conjunta oferece benefícios significativos, como:

    • Facilitação na gestão de despesas compartilhadas, principalmente entre casais;
    • Simplificação do processo de pagamento de despesas mútuas;
    • Possibilidade de acumular pontos em cartões de crédito compartilhados. 

    Principais desvantagens

    A conta conjunta não está isenta de desvantagens. Confira os principais pontos negativos envolvidos: 

    • A necessidade de consentimento mútuo para transações pode complicar a gestão financeira, especialmente em situações de urgência;
    • Falta de privacidade nas finanças pessoais;
    • Em casos de separação ou falecimento de um dos titulares, o processo de divisão dos recursos pode se tornar complexo e doloroso;
    • Comprometimento financeiro dos titulares em caso de dívidas ou má gestão de um dos envolvidos.

    Por isso, sempre aposte na educação financeira e mantenha seu planejamento alinhado com os titulares da conta!

    Como abrir uma conta conjunta?

    Para abrir uma conta conjunta, siga estes passos:

    1. Reúna a documentação necessária de todos os titulares, incluindo CPF, RG, comprovante de endereço e de renda.
    2. Entre em contato com o banco desejado e informe que deseja abrir uma conta conjunta. Alguns permitem a abertura online, enquanto outros exigem que os titulares compareçam presencialmente a uma agência.
    3. Preencha o formulário de abertura de conta conjunta, fornecendo as informações solicitadas sobre todos os titulares.
    4. Envie ou apresente a documentação exigida pelo banco. Isso pode ser feito de forma digital ou presencial, dependendo da instituição.
    5. Escolha o tipo de conta conjunta desejada: solidária ou simples/não-solidária.
    6. Após a aprovação, o banco irá fornecer os dados da conta conjunta, como número, agência e demais informações necessárias.

    É preciso ser casado?

    Não, não é necessário ser casado para abrir uma conta conjunta. Basta ser maior de 18 anos e apresentar os documentos na instituição financeira escolhida.

    É comum que casais abram contas conjuntas para facilitar a gestão das finanças, mas essa não é a única opção. Pessoas que moram juntas, amigos, familiares, sócios de empresas e qualquer pessoa que queira compartilhar responsabilidades financeiras com outra pessoa pode abrir uma conta conjunta.

    Como sair ou cancelar uma conta conjunta?

    Antes de sair ou cancelar uma conta conjunta, é necessário ocorrer consenso entre os titulares. É importante também: 

    • Verificar se há saldo na conta. Se houver, será necessário decidir como o valor será dividido entre os titulares.
    • Certificar de que não há nenhuma dívida aberta na conta, como cheques especiais, empréstimos ou financiamentos. 

    Para dar entrada na solicitação, você precisará apresentar alguns documentos, como RG, CPF, cartão da conta e, em alguns casos, termo de rescisão fornecido pelo banco. Após isso, basta solicitar o cancelamento na instituição financeira. 

    Perguntas frequentes sobre conta conjunta

    É necessário declarar uma conta conjunta?

    Sim, é necessário declarar uma conta conjunta no Imposto de Renda. Cada titular deve declarar sua parte proporcional do saldo da conta. 

    Como descobrir que a conta é conjunta?

    O extrato da conta geralmente indica se a conta é individual ou conjunta. Outras formas são por meio do aplicativo ou internet banking do banco, no contrato ou no cartão. 

    É possível receber salário em conta conjunta?

    Sim, é possível receber salário em conta conjunta no Brasil, desde que ambas as partes concordem. 

    Entenda também: Como solicitar a portabilidade de salário?

    Quem responde pela conta conjunta?

    Na conta conjunta simples, cada titular é responsável por seus próprios gastos. Enquanto na solidária, todos os titulares são responsáveis por todas as dívidas da conta.

    O que acontece quando o titular da conta conjunta morre?

    Quando um titular da conta conjunta falece, o saldo e as responsabilidades financeiras são divididos conforme o regime de bens do casal e a modalidade da conta:

    • Comunhão universal ou parcial: o cônjuge vivo geralmente tem direito a 50% do saldo, e a outra metade é dividida entre os demais herdeiros.
    • Separação de bens: cada titular mantém a propriedade do que adquiriu, incluindo o saldo da conta.
    • Conta conjunta simples: o saldo fica bloqueado até a finalização do inventário e a partilha da herança.
    • Conta conjunta solidária: o cônjuge vivo pode usar a conta normalmente, mas metade do saldo fica bloqueada para inventário.

    Leia mais: União estável e pensão por morte, entenda seus direitos!

    Redação Mercantil 27 artigos publicados

    Compartilhar
    Navegue pelo sumário
      Recentes
      +Dinheiro
      Navegue pelo sumário

        Também pode te interessar

        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você

        Banco Mercantil do Brasil S.A. 17.184.037/0001-10
        Av. do Contorno, 5.800. Andares 11º, 12º, 13º, 14º e 15º. Savassi - Belo Horizonte - MG 30.110-042