Blog

    A decisão de oficializar um relacionamento é um passo importante na vida de um casal. No entanto, muitas pessoas têm dúvidas sobre as diferenças entre união estável e casamento. Embora ambos sejam formas reconhecidas legalmente de constituir uma família, existem distinções significativas entre eles. 

    Neste artigo, vamos explorar em detalhes essas diferenças, abordando aspectos como formação, regime de bens, direitos e deveres, dissolução e muito mais. 

    O que é União Estável?

    A união estável é uma forma de relacionamento em que duas pessoas vivem juntas como casal, com o objetivo de constituir uma família. Ela é caracterizada pela convivência pública, contínua e duradoura, sem a necessidade de uma cerimônia formal. Diferente do casamento, a união estável não exige a celebração de um contrato ou a realização de uma cerimônia religiosa ou civil.

    A legislação brasileira define a união estável no artigo 1.723 do Código Civil. Segundo o texto legal, a união estável é reconhecida como uma entidade familiar quando ocorre a convivência pública, contínua e duradoura entre um homem e uma mulher (ou entre pessoas do mesmo sexo) com o objetivo de constituir família.

    Como é formada a União Estável?

    A formação da união estável ocorre quando duas pessoas decidem viver juntas como casal, com o objetivo de constituir uma família. Diferentemente do casamento, não há uma formalidade específica para estabelecer uma união estável. Basta que o casal conviva de forma pública, contínua e duradoura, com a intenção de constituir uma família.

    É importante ressaltar que não há um prazo mínimo de convivência para configurar uma união estável. A decisão de viver junto como casal e construir uma família é o elemento central para caracterizar essa forma de relacionamento.

    Direitos e Deveres na União Estável

    Na união estável, os casais têm direitos e deveres semelhantes aos do casamento civil. Os parceiros têm o direito de serem reconhecidos como entidade familiar, com todos os benefícios e proteções legais que isso proporciona. Além disso, eles também têm a obrigação de respeitar e cuidar um do outro, assim como ocorre no casamento.

    Um dos principais direitos na união estável é o direito à herança. Caso um dos parceiros venha a falecer, o outro tem direito a uma parte dos bens deixados, desde que não haja um testamento que estabeleça de forma diferente.

    Outro direito importante é o direito à pensão alimentícia. Se o casal tiver filhos em comum ou se um dos parceiros depender financeiramente do outro, é possível solicitar o pagamento de pensão alimentícia em caso de separação.

    O que é Casamento?

    O casamento é a união entre duas pessoas reconhecida legalmente como uma entidade familiar. Diferente da união estável, o casamento exige a celebração de um contrato ou cerimônia, seja ela civil ou religiosa. É importante ressaltar que, no Brasil, o casamento civil é obrigatório para que o casal tenha seus direitos e deveres formalmente reconhecidos.

    Tipos de Casamento

    Existem diferentes tipos de casamento, cada um com suas características específicas. Os principais são:

    Casamento Civil

    O casamento civil é realizado perante um oficial de registro civil e é formalizado por meio de um contrato. Nesse tipo de casamento, é necessário o cumprimento de alguns requisitos legais, como a apresentação de documentos, a presença de testemunhas e a declaração de consentimento dos noivos.

    Casamento Religioso

    O casamento religioso é uma cerimônia realizada perante uma autoridade religiosa, de acordo com os preceitos da religião escolhida pelo casal. É importante destacar que, para que o casamento tenha validade legal, é necessário que seja acompanhado do casamento civil.

    Casamento Religioso com Efeito Civil

    Nesse tipo de casamento, a cerimônia religiosa tem efeito civil, ou seja, ela substitui a necessidade de realizar o casamento civil separadamente. Para que o casamento religioso tenha validade legal, é necessário que a autoridade religiosa emita um termo de casamento, que deve ser registrado no cartório civil.

    Casamento no Exterior

    O casamento realizado no exterior pode ter validade legal no Brasil, desde que seja reconhecido pelo Consulado Brasileiro ou pelo Supremo Tribunal Federal. É importante verificar os trâmites legais necessários para garantir a validade do casamento no Brasil.

    Regimes de Bens no Casamento

    No casamento, os noivos podem escolher o regime de bens que será aplicado à sua união. O regime de bens determina como os bens adquiridos antes e durante o casamento serão administrados e partilhados em caso de separação ou divórcio.

    Existem quatro tipos de regime de bens no casamento civil: comunhão universal de bens, comunhão parcial de bens, separação de bens e participação final nos aquestos. Cabe aos noivos escolherem qual regime melhor atende às suas necessidades e expectativas.

    Comunhão Universal de Bens

    No regime de comunhão universal de bens, todos os bens adquiridos antes e durante o casamento são considerados patrimônio comum do casal. Isso significa que, em caso de separação, todos os bens serão divididos igualmente entre os cônjuges.

    Comunhão Parcial de Bens

    No regime de comunhão parcial de bens, apenas os bens adquiridos após o casamento são considerados patrimônio comum do casal. Os bens adquiridos antes do casamento ou por herança são considerados patrimônio individual de cada cônjuge.

    Separação de Bens

    No regime de separação de bens, cada cônjuge possui seu próprio patrimônio, que é mantido individualmente. Não há comunicação de bens entre os cônjuges, nem mesmo em caso de divórcio.

    Participação Final nos Aquestos

    No regime de participação final nos aquestos, os cônjuges mantêm a separação de bens durante o casamento, mas, em caso de divórcio, será feita uma partilha dos bens adquiridos durante o casamento de acordo com a contribuição de cada cônjuge.

    Direitos e Deveres no Casamento

    Assim como na união estável, o casamento confere aos cônjuges uma série de direitos e deveres. No casamento, os parceiros têm o dever de respeitar e cuidar um do outro, além de compartilharem as responsabilidades da vida familiar.

    Entre os direitos conferidos pelo casamento estão o direito à herança, o direito à pensão alimentícia, o direito a utilizar o sobrenome do cônjuge e o direito de tomar decisões conjuntas sobre questões importantes, como a educação dos filhos.

    Diferenças entre União Estável e Casamento

    Agora que já exploramos os conceitos de união estável e casamento, vamos destacar as principais diferenças entre essas duas formas de relacionamento.

    Formação

    A principal diferença entre a união estável e o casamento está na forma como essas relações são formadas. Enquanto o casamento requer a celebração de um contrato ou cerimônia formal, a união estável é estabelecida de forma mais informal, por meio da convivência pública, contínua e duradoura entre o casal.

    Regime de Bens

    Outra diferença significativa entre a união estável e o casamento está no regime de bens. No casamento, os noivos podem escolher o regime de bens que melhor se adequa às suas necessidades e expectativas. Já na união estável, aplica-se automaticamente o regime de comunhão parcial de bens, a menos que haja um contrato escrito estabelecendo outro regime.

    Estado Civil

    Uma diferença importante entre a união estável e o casamento é o estado civil dos parceiros. No casamento, o estado civil dos cônjuges é alterado, passando de solteiro para casado. Já na união estável, o estado civil dos parceiros não sofre alteração.

    Reconhecimento Legal

    O casamento é uma forma de relacionamento amplamente reconhecida e regulamentada pela legislação brasileira. Por outro lado, a união estável só passou a ser reconhecida legalmente a partir da Constituição Federal de 1988 e da Lei 9.278/96. No entanto, apesar do reconhecimento legal mais recente, a união estável possui os mesmos direitos e deveres conferidos pelo casamento civil.

    Dissolução

    A forma como a união estável e o casamento podem ser dissolvidos também é diferente. No caso do casamento, a dissolução pode ocorrer por meio do divórcio, que pode ser consensual ou litigioso. Já na união estável, a dissolução ocorre quando os parceiros deixam de conviver juntos, ou seja, quando ocorre a separação de fato.

    Reconhecimento de Filhos

    Outra diferença entre a união estável e o casamento está no reconhecimento de filhos. No casamento, os filhos nascidos durante a união são automaticamente reconhecidos como filhos do casal. Na união estável, é necessário realizar o reconhecimento voluntário de paternidade ou maternidade para que os filhos sejam legalmente reconhecidos como filhos do casal.

    Vem ler o resumo

    Em suma, a união estável e o casamento são duas formas legais de constituir uma família. Embora ambas tenham semelhanças em termos de direitos e deveres, existem diferenças significativas em relação à formação, regime de bens, estado civil, reconhecimento legal, dissolução e reconhecimento de filhos.

    A escolha entre união estável e casamento deve ser baseada nas preferências e necessidades de cada casal. É importante que os parceiros estejam cientes das implicações legais de ambas as formas de relacionamento antes de tomar uma decisão.

    Caso você esteja considerando formalizar seu relacionamento ou esteja passando por uma separação, é sempre recomendável buscar o auxílio de um advogado especializado em direito de família. Esse profissional poderá orientar sobre os trâmites legais e garantir que seus direitos sejam protegidos.

    Lembre-se, a união estável e o casamento são formas válidas e legais de construir uma família. O mais importante é que o relacionamento seja baseado no respeito, amor e comprometimento mútuo.

    Para estar sempre por dentro, conecte-se conosco nas redes sociais. Curta nossa página no Facebook, inscreva-se no YouTube, siga-nos no Instagram e Linkedin para receber informações sobre as soluções financeiras do Banco Mercantil. Te esperamos lá!

    Redação Mercantil 240 artigos publicados

    Com mais de 250 agências, 7 milhões de clientes e 80 anos de mercado, o Banco Mercantil é o primeiro do Brasil a se inspirar na experiência do público 50+ para desenvolver soluções especialmente voltadas para a juventude prateada. A Redação do banco está sempre em busca de simplificar esse universo, com dicas de investimento, economia, planejamento financeiro e estilo de vida personalizadas para você.

    Compartilhar
    Navegue pelo sumário
      Recentes
      FGTS
      Navegue pelo sumário

        Também pode te interessar

        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você
        + Para Você

        Banco Mercantil do Brasil S.A. 17.184.037/0001-10
        Av. do Contorno, 5.800. Andares 11º, 12º, 13º, 14º e 15º. Savassi - Belo Horizonte - MG 30.110-042