Blog

    Os golpistas estão cada vez mais sofisticados e criativos em suas estratégias para roubar o dinheiro das pessoas. Infelizmente, os golpes envolvendo empréstimos falsos ou ilícitos têm se tornado mais comuns nos últimos anos. 

    Desde propostas sedutoras por telefone, WhatsApp e redes sociais até sites fraudulentos que se passam por instituições conhecidas. No artigo de hoje, vamos explicar sobre os 7 tipos de golpes mais comuns. Leia mais a seguir.

    Principais tipos de golpes envolvendo empréstimos

    Os golpes envolvendo empréstimos falsos ou ilícitos se caracterizam pela oferta de crédito com condições extremamente atrativas, geralmente acompanhadas de solicitações de pagamentos antecipados, taxas ou cadastros. 

    O objetivo dos criminosos é convencer a vítima a realizar os pagamentos, desaparecendo em seguida com o dinheiro e sem conceder o empréstimo prometido. Confira abaixo!

    1. Golpe do empréstimo pelo WhatsApp

    No golpe do empréstimo pelo WhatsApp, os criminosos entram em contato com a vítima pelo aplicativo, informando sobre uma linha de crédito pré-aprovada e disponível. Porém, pedem um depósito antecipado para a liberação, mas desaparecem com o dinheiro.

    Para se proteger, é importante ficar atento a alguns sinais, como:

    • Verificar se você é realmente cliente da empresa que está entrando em contato;
    • Pesquisar o número de telefone utilizado para confirmar que se trata de um canal oficiais de atendimento;
    • Observar se há presença do sinal de verificado no número. 

    2. Golpe do empréstimo consignado

    No golpe do empréstimo consignado, são oferecidas condições extremamente vantajosas, geralmente muito melhores do que as oferecidas no mercado. Os criminosos podem entrar em contato por telefone, WhatsApp, e-mail ou SMS.

    Aqui, também são solicitados o pagamento de taxas, cadastros ou até mesmo de uma parcela inicial para a liberação do empréstimo. É importante desconfiar de propostas que pareçam boas demais para ser verdade, verificando a legitimidade das ofertas diretamente com a instituição financeira.

    3. Golpe do consignado com “Kit Fraude”

    Nesse golpe, os criminosos conseguem obter documentos e informações pessoais das vítimas, possivelmente por meio de roubos ou vazamentos de dados. Com esses dados em mãos, eles criam contas fraudulentas e contratam empréstimos consignados em nome da vítima, sem o seu conhecimento.

    O prejuízo financeiro é geralmente notado apenas tempos depois, quando a pessoa começa perceber os descontos indevidos em seu contracheque ou benefício previdenciário.

    4. Golpe do empréstimo para investimentos

    Essa variação do golpe envolve uma proposta atrativa de investimento, com promessas de altos rendimentos, financiada por meio de um empréstimo consignado pré-aprovado. 

    A vítima é convencida a contratar o empréstimo e repassar o dinheiro recebido para a empresa ou consultor realizar os investimentos. No entanto, os criminosos somem com o valor, deixando a vítima com a dívida do empréstimo.

    5. Golpe do empréstimo fácil

    Nesse golpe, os criminosos divulgam anúncios de crédito com muitas facilidades. Isso é feito por meio das redes sociais, se passando por empresas conhecidas. 

    Ao clicar no anúncio, a pessoa é direcionada a preencher um cadastro e é informada de que o empréstimo foi concedido, mas, para receber o valor, precisa pagar uma taxa de adesão ou cadastro.

    6. Golpe do empréstimo por telefone

    Utilizando as mesmas estratégias, os golpistas também podem fazer ofertas de empréstimo falso por telefone. Eles geralmente tentam convencer a vítima com argumentos como maior facilidade no processo, taxas irreais e até mesmo descontos.

    Saiba mais sobre golpes telefônicos!

    7. Golpe da falsa portabilidade de crédito

    No golpe da falsa portabilidade de consignado, os criminosos se passam por funcionários de bancos e entram em contato com a vítima, afirmando que é possível transferir o crédito ativo para uma instituição com melhores condições. 

    No entanto, o que eles fazem é criar um novo contrato de empréstimo consignado, utilizando os dados da vítima, e desviam o dinheiro recebido. Por isso, fique atento se receber algum contato semelhante. 

    A portabilidade de empréstimos é direito dos consumidores, mas ela deve ser solicitada apenas pelo próprio cliente.

    Como saber se alguém fez empréstimo no seu nome?

    Caso você suspeite que alguém tenha feito um empréstimo em seu nome, a primeira etapa é consultar o Registrato, site do Banco Central, para verificar se há algum crédito registrado em seu nome. 

    O que fazer se você foi vítima?

    Ao identificar uma operação que não reconhece, registre um Boletim de Ocorrência e entre em contato com a instituição financeira envolvida, apresentando o B.O e solicitando que a situação seja resolvida. 

    Caso tenha fornecido dados pessoais ou bancários, comunique aos órgãos envolvidos o ocorrido. Um exemplo é o INSS, a instituição pagadora do salário ou benefício, e o banco onde possui conta. 

    Por fim, a denúncia do site falso ou perfil fraudulento, caso existam, também é uma medida importante para impedir que outras pessoas caiam no mesmo golpe.

    Mantenha-se atualizado sobre o mercado financeiro! Siga o Banco Mercantil no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn!

    Redação Mercantil 97 artigos publicados

    Compartilhar
    Navegue pelo sumário
      Recentes
      Meu Mercantil
      Navegue pelo sumário

        Também pode te interessar

        +Segurança
        +Segurança
        +Segurança
        +Segurança
        +Segurança
        +Segurança

        Banco Mercantil do Brasil S.A. 17.184.037/0001-10
        Av. do Contorno, 5.800. Andares 11º, 12º, 13º, 14º e 15º. Savassi - Belo Horizonte - MG 30.110-042